anfibio

Anfíbio: filmar o momento exato

Armando Manoel – Quando fazer um curta? Qual o melhor momento para se contar uma pequena anedota audiovisual? Que tipo de histórias serve ao curto espaço de alguns minutos? As perguntas não são literais, no sentido do tempo da produção, das intenções e da disponibilidade da equipe, ou, mais especificamente, da execução dum projeto qualquer.…

retrato de carmen d-ed

Retrato de Carmen D.: jogar para a câmera

por Valéria Tedesco – O curta-metragem carioca que encerrou a sessão Mostra Brasil 5, na quarta-feira úmida do festival, foi claramente o auge da noite. Retrato de Carmem D., da diretora Isabel Joffily, se destaca pela intensidade de emoções e angústia que transmite através de seus personagens. Tão complexo quanto a relação de mãe e…

chaplin sp

Breves anotações sobre o Panorama Paulista

por Lígia Hsu – O estado de São Paulo é a mola propulsora do país, correto? Essa visão simplista de um Brasil dependente de apenas um estado felizmente/infelizmente não se aplica à produção audiovisual. A sessão Panorama Paulista 3, um pequeno recorte do que vem sendo produzido no estado de São Paulo, me fez levantar…

quintal2

Quintal: mergulhar no portal cinematográfico

por Adriana Gaeta – Quintal é um experimento sobre linguagem. Se inicialmente mostra um casal de idosos e seu cotidiano, o curta rapidamente nos insere no universo do realismo fantástico, com o qual o diretor André Novais (Fantasmas, Pouco Mais de um Mês) vem flertando em outros curtas. Desse reconhecível mundo da casa e do…

como sao crueis os passaros da alvorada

Da organização fílmica do sujeito

Rodrigo Sá – À sua maneira, um filme pode ser muitos filmes. Dada a não produção de uma impressão geral que permita uma interpretação do sentido, o filme constrói-se por meio de um processo de negação de síntese onde não se atribui aos elementos determinações semânticas permanentes. Filmes que se utilizam desse procedimento fogem daquilo…

este ambiente...-ed

Sobre a impotência do ato de filmar

Mariana Moura – E se nossa realidade fosse televisionada? Junto com ela, todas as violências que sofremos diariamente? E se os maridos agressores filmassem os momentos “estressados” com suas mulheres? E se, a partir de agora, todo criminoso filmasse sua execução ou agressão? Como seria o mundo se tudo fosse filmado e postado no YouTube…