Filme de amor

“Pra Eu Dormir Tranqüilo” é um filme de amor mesmo, não de terror, como diz o título do texto de Mirrah Iañez (leia aqui). É um amor que encontra formas não ortodoxas de se expressar; é necrofilia cinematográfica, considerando que “nekrós” vem de cadáver e “phil” de amor. A história do garoto que encontra a…

Onde é que o Graffiti mexe?

“Graffiti que Mexe” é uma animação muito bem feita, divertida, plasticamente bonita, produzida por um coletivo, o que costuma ter efeitos no mínimo interessantes sobre o resultado final, e o beatbox como trilha sonora ficou incrível. Mas, lendo a proposta do filme e do coletivo “Graffiti com Pipoca” de engajar e conscientizar por meio da…

critica curta 2011

Aqui, o jornal da edição 2011

Na edição de 2011, os participantes da oficina Crítica Curta foram convidados a redigir textos críticos sobre os filmes apresentados no Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo. O resultado foi a publicação de um tabloide, distribuído ao final do evento. Para baixar o tabloide clique aqui. Ao todo 23 alunos de universidades, faculdades e…

Armando o jogo

Primeiras imagens. Um homem no banheiro. Cocaína. Uma arma na mão. Olhar e gestos tensos. Cortes rápidos. Um senhor calvo compra uma passagem na rodoviária. Três mulheres na plataforma da rodoviária, duas adolescentes e uma mais madura. O homem do banheiro as olha de longe. A câmera toma a subjetiva e passeia longamente pelo corpo…

Um curta antes de um longa. Por que não?

A chamada “lei do curta” foi criada em meados da década de 1970 e previa a exibição de um curta antes de cada sessão de longa-metragem estrangeiro. Foi combatida ferozmente pelos donos de cinema e simplesmente descumprida (está em vigor até hoje, aguardando uma nova regulamentação). Explico essa situação porque é na época da “lei…

Nas oficinas, jóias audiovisuais

Os programas das Oficinas Kinoforum foram muito interessantes. Percebe-se que a cada lugar em que foram feitos os curtas há uma visão diferente de como se fazer cinema. Uma coisa que ficou muito clara ao ver as mostras, tanto a especial de 10 anos quanto a das oficinas do ano passado, é que há muitos…

A essência do “bullying”

Em uma época em que se fala tanto em violência gratuita, pensa-se muito na violência física e se esquece da psicológica. Mas, como dizem: às vezes uma palavra doi mais do que um tapa. Faz um tempo assisti ao documentário “Amor?”, de João Jardim, e logo em seu começo uma senhora diz que cometeu muita…

O campo da imaginação, sem medo

“Fábula das 3 Avós” explora, basicamente, o mundo da imaginação. Uma menina de 10 anos acaba de perder sua avó e recebe a visita de um “fado”, que pretende levá-la a uma visita pelo norte, pelo sul e pelo oeste, fazendo com que a menina conheça suas 3 avós imaginárias. Começando pelo elenco, a menina…

Sonhos de liberdade

A primeira coisa a levar-se em conta sobre “Aguasala”, dirigido por Cristiane Arenas, é a circunstância como ele foi captado. Filmado dentro da Fundação Casa em cinco dias, com tensão crescente e irritabilidade das internas conforme os dias passavam e sua rotina era modificada pela equipe de filmagem. Como disse a diretora na conversa após…

Sutileza narrativa do cotidiano

Um retrato do cotidiano e da espera: esse seria um ótimo resumo para “Carol”, de Francisco Guarnieri. O filme, baseado em personagens reais, conta a história de Lucas, um menino de 13 anos que aguarda a chegada de Carol, sua irmã mais velha. A narrativa, completamente minimalista, mostra a espera de Lucas, enquanto seu pai…